Coisas que não se vê todo dia …

Hoje, quando desci do ônibus para vir ao trabalho (venho de ônibus fretado todos os dias), vi uma cena pitoresca.

Fui atravessar a rua (tem um canteiro central) e quando estava bem no meio, um homem começou a gritar. Inicialmente achei que era comigo. Olhei para trás a fim de verificar. Era uma família descendo de um carro que estava parado no meio da rua. A gritaria não era comigo.

De repente vejo um senhor, relativamente velho, correndo com um objeto nas mãos. Pensei: “Ele roubou a família e por isso estão gritando”. Focalizando a visão no senhor e escutando gritos de “não faz isso não”, percebi que ele corria com um facão enorme nas mãos. Em riste, ia em direção a um homem parado na esquina.

O homem, ao escutar os gritos olhou e viu o senhor a poucos metros chegando com o facão no punho. Imediatamente largou tudo e começou a correr, sendo seguido pelo senhor que queria, ao menos, fazer alguns cortes na sua cabeça.

Ele correu para um posto de gasolina e ficou rodeando as bombas de combustíveis, sempre sendo seguido pelo velho senhor.

Depois começou a se esconder atrás de um carro, igual a quando as crianças correm das outras. Um homem muito grande veio e agarrou o velho por trás pondo fim a perseguição.

Então a família correu para o posto e … Não sei o que aconteceu, pois continuei andando para o trabalho.

Bizarro. Se o rapaz não escuta os gritos, teria tido a cabeça decepada pelo velho senhor.

Pensei em algumas teorias, mas a circunstância realmente é diferente. Será que o homem “pegou” a filha do velho ? E agora não quer assumir ? Mas que sentido tem toda uma família as 07:00 da manhã esperando o rapaz ? Será que foi acerto de contas ? Ou o velho tem problemas psiquiátricos ? Apesar que ele já estava com um facão no carro, então foi planejado …

É certo que nunca saberei o que se passou (a não ser que o velho consiga matar o rapaz e aparecer no jornal). Também, pouco importa. No início torci para o menino correr (fiquei tenso com a situação – que coisa horrível ver aquela cena pela manhã). Mas depois, quando vi que o velho nunca alcançaria o rapaz (a não ser que ele tropeçasse), achei graça da situação.

Coisas que a gente vivencia, não é ?

Era um facão desse tipo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s