Habilitando o acesso ao HSBC Canada

Ontem recebi a senha da minha conta (PIN).

Automaticamente entrei na internet para acessar o Online Banking e … Não é a mesma senha 🙂

Precisei cadastrar um TelePIN. Ou seja, primeiro contato com o banco via telefone. Havia a opção de falar em inglês, francês e um monte de outros tipos que eu não consegui entender (acho que era japonês e chinês + variações). Decidi ir pelo inglês mesmo.

Liguei, falei com o atendente, muito gentil e solícito. Consegui obter meu TelePIN temporário, que serve para criar o TelePIN oficial. No finzinho do processo a bateria do telefone sem fio pifou ! Aff ! Não consegui finalizar.

Tentarei hoje novamente finalizar o processo indo direto nas coordenadas que haviam me passado. Não sei se o TelePIN temporário ainda vai funcionar, senão terei que começar tudo novamente. Mas sei que dessa vez vou checar se o telefone esteve na base durante o dia …

 

Acidente de carro com um motorista bebâdo fujão

Depois me perguntam “por que sair do Brasil ?”.

Estava saindo da Prefeitura de Osasco hoje. parei em um sinal e de repente … Poff … Acertaram a traseira do meu carro.

Saí para falar com o cara e ele mal conseguia sair do carro dele (isso era 15h30 !!!). Ele mal reconhecia que tinha acabado de bater o carro.

Falei com ele (claramente ele estava bebâdo) e ele disse que ia pagar. Como estávamos no meio da avenida (muito movimentada), sugeri de afastarmos o carro para próximo a calçada. E de repente, o cara surtou ! Entrou no carro e fugiu. Segui ele por um trecho, então ele começou a fechar os outros carros, jogou dois na calçada e entreou na contramão. Neste ponto vi que não era viável continuar seguindo (eu não vou entrar na contramão e arriscar minha vida).

No momento em que parei, encontrei uma viatura da PM. Avisei que o motorista bebâdo estava sem controle e tinha acabado de bater em mim. Eles falaram que ia verificar. Encontrei outro viatura da Tática. Falei com eles também e eles falaram que “verificariam” (este pegou até meu número de celular).

Então fui fazer um B.O. Chegando na Delegacia, perguntaram se tinha vítimas (hora, é claro que tem pô – mas só vale vítima com danos físicos !). E começaram o B.O.. Então falei que minha preocupação era o cara estar bebâdo e ser uma ameça; eu gostaria de abrir uma queixa criminal contra ele. Me disseram que não é possível já que ele não seria pego em flagrante, etc. e talz. E que a única coisa que posso fazer é ir no Pequenas Causas tentar obter o dinheiro do conserto de volta (e nem isso é garantido). E que se eu quisesse alertar para a busca do carro, deveria ligar 190 e fazer a queixa (porra ! Eu estou na Delegacia ! Eles não podem fazer isso ? ).

Por fim, peguei o B.O., levantei os dados do veículo (não consegui o nome do proprietário, queria muito ligar para a casa desse safado) e entreguei para um advogado tentar obter os dados dele o mais rápido possível.

O conserto vai ficar menos que a franquia (absurdos R$ 2.882.27 ), eu acho. O chefe até falou que vai conversar comigo amanhã sobre o assunto. Afinal, eu estava a trabalho com meu carro particular … Veremos …

Nesse momento de falta de dinheiro, mais essa agora.

E enquanto isso no Québec, algumas maluquices acontecem. Mas pelo menos as leis são seguidas.

http://www.ctvnews.ca/canada/quebec-man-charged-with-drunk-driving-for-17th-time-1.1132966

O tiozinho foi pego novamente, mas pelo menos foi preso. Outro citado abaixo pegou perpétua por ser uma ameaça a sociedade.

Eu não queria nada demais … Só queria que esse safado respondesse por estar bebendo dirigindo …

Para quem se interessar pelo caso, o cara dirigia uma Pajero Preta com Placa LUU1585, cidade de Osasco. 

Se um dia encontrar esse safado, fala que você sabe que ele é um ordinário motorista bebâdo fujão.

E ainda perguntam por que eu quero ir para o Canadá. Sei que lá também tem motorista bebâdo (aliás, tem muitos pelas notícias que vi). Pelo menos as leis são executadas de maneira justa e os casos investigados.

Boa semana a todos !

Missão de Entrevistas no Brasil

Obrigado aos que avisaram !

Saiu a data de missão de entrevista para CSQ no Brasil !!! 09 de setembro a 20 de setembro !!!

Agora é esperar para ver se seremos convocados.

Segue link oficial :

http://www.immigration-quebec.gouv.qc.ca/publications/en/divers/Programmation-missions-travailleurs-lieu-en.pdf

LATIN
AMERICA Sao Paulo September 9 September 20

O BIQ está se mexendo ?

Pessoal, enquanto aguardamos a convocação da entrevista, vi que outros usuários começam a receber o mesmo email que nós (preparação para a entrevista).

Apesar de ainda sem data, sabemos que a programação de missões do primeiro semestre está acabando, o que deixa margem para a publicação das missões do segundo semestre.

Será que está chegando a hora ? Será que seremos convocados agora ? Fico ansioso com medo de não estar pronto, mas também fico ansioso com o tempo de espera.

Tópicos do fórum Brasil-Québec sobre o assunto:

ENVIO DE DOCS A PARTIR DE DEZ/2011 – ALGUMA RESPOSTA?

ENTREVISTAS SEGUNDO SEMESTRE 2013

Oh céus, oh vida !

Para quem se lembra dela … “Oh Céus, oh Vida”.

Desisti de abrir conta no HSBC

Bem pessoal …

Sei que algumas coisas nos trazem segurança. Ir ao Canada com uma conta Premier aberta talvez seja uma delas. Mas para ser sincero, minha experiência com o HSBC no Brasil tem sido desanimadora até agora.

A primeira vez que fui no HSBC, quando o limite do Premier ainda era R$ 7.000,00, a atendente não fez muito esforço para abrir a conta. E nem me avisou que esses limites iriam mudar (se é que ela sabia).

Quando resolvi finalmente abrir a conta, mês passado, olhei no site e vi que limite para Premier havia mudado.

Enviei um email detalhando meu caso para o HSBC e recebi uma resposta ultra-mega genérica, daquelas que você percebe que a pessoa nem leu o que você escreveu. Primeiro ponto negativo.

Quarta feira tirei um dia de folga e fui até o HSBC para conversar pessoalmente com o Gerente de abertura de contas. Expliquei o caso e o cara não mostrou a menor vontade de fazer nada (nem mesmo abrir a conta).

Ele mal sabia sobre as questões de abertura de conta no Canada. Isso porque é um gerente ! Imagina se fosse outro funcionário …

Disse que não havia o que fazer, me passou uma tabela de tarifas (leu para mim o que já estava escrito – talvez ele tenha achado que eu sou analfabeto e não sei ler uma tabela).

A cara do gerente – sério – me desanimou totalmente de abri uma conta lá (não porque ele era feio – mas sim pela falta de interesse em conquistar um cliente).

A recepcionista da agenda já recebendo as pessoas com uma baita cara de bosta má vontade. O tal gerente espalhado na mesa olhando para os lados, fingindo que estava ocupado e torcendo para não ter mais atendimentos.

Por fim, ele me falou que poderia fazer a tal gambiarra: abrir a conta advance, eu movimentar R$ 10.000,00 por três meses e solicitar o upgrade da conta para Premier. Questionei sobre os limites que a conta teria, já que sou cliente Van Gogh com cartão de crédito com um bom limite e sem anuidade e tal. O Zé Ruela disse que não poderia garantir nada e que somente após a abertura da conta ele poderia verificar se eu iria conseguir negociar as mesmas condições do outro banco.

Em resumo, ficou claro que eles não querem mais clientes pois o gerente nem tentou me convencer a abrir a conta. Ele me motivou mesmo é a manter a minha do Santander atual.

Pois essa será a tática. Vou manter a conta brasileira que tenho meus benefícios e crédito. Se for a necessidade, usarei o cartão brasileiro em emergências e quando chegar no Canada abro uma conta por lá mesmo.

Se a experiência antes da abertura da conta foi ruim, imagina após !!!

Inspiração para o Momento

Depois de tantos sustos, nos inspirar faz bem.

Não sei se alguém conhece o texto, mas aqui vai:

Pessoas com vidas interessantes não tem fricote. Elas trocam de cidade. Investem em projetos sem garantia. Interessam-se por gente que é o oposto delas. Pedem demissão sem ter outro emprego em vista. Aceitam um convite para fazer o que nunca fizeram. Estão dispostas a mudar de cor preferida, de prato predileto. Começam do zero inúmeras vezes. Não se assustam com a passagem do tempo. Sobem no palco, tosam o cabelo, fazem loucuras por amor, compram passagens só de ida.

Autoria de Martha Medeiros.

Não sei o motivo, mas descreve exatamente a aventura de imigrar Vocês não acham ?

Da série: Por que sair do Brasil ? [3]

Até agora eu havia postado somente casos acontecidos com pessoas que não conhecemos. Hoje, vou falar sobre a minha experiência de ontem.

Le Poussin fils estava ontem brincando na casa da vó com meu sobrinho. Aliás, eles adoram ficar por lá. Quando cheguei do trabalho, meados de 19h. fui com junto a Poussin Mère et Poussin fille buscar o pequeno bagunceiro.

Chegamos, rapidamente recolhemos as coisas e fomos embora. Em torno das 20h, fazendo o trajeto que sempre faço, parei em um sinal. É o mesmo caminho que faço sempre saindo da casa dos meus pais. Haviam vários carros parados.

De repente, uma moto para de maneira extremamente suspeita do meu lado. Olhei em torno imediatamente analisando as rotas de saída e percebi que Possuin fils estava com a janela totalmente aberta olhando para fora, apoiado na mesma. Eu também estava com a janela totalmente aberta.

Imediatamente quando o motoqueiro parou do meu lado, olhei para seus olhos. Dá forma que ele parou entre os carros e olhou para a moto que veio atrás, já senti aquela sensação de “fudeu” (desculpe a palavra, mas essa é a melhor forma de descrever a sensação do momento).

Mantive os olhos nos olhos do motoqueiro e já ameacei sair com o carro. Notei que ele me respondeu o olhar com uma cara de “você já era”. Levantou a camisa e lá estava aquele revólver preso a cintura. De cara já pensei que não daria para fugir. A posição estava muito exposta e o risco de levar um tiro nas crianças no banco de trás seria grande.

Simplesmente, desisti e esperei o momento. Ele olhou novamente para meus olhos segurando a arma, mas ainda presa a cintura. Então olhou para o banco de trás.

No banco de trás, Poussin fils nem imaginava a situação. Olhava para alguma coisa fora do carro.

O bandido olhou para ele, olhou para Poussin fille no assento infantil e voltou a olhar para os meus olhos.

Não sei exatamente o motivo, mas ele soltou a arma e escondeu novamente com a camisa. Nesse momento eu imediatamente virei a direita no sinal vermelho com trânsito e tudo. E fui embora.

Poussin Mère estava falando (eu nem lembro o quê). Falei para ela da situação. Geralmente ela não percebe esse tipo de coisa mesmo. Já não é a primeira vez que somos quase assaltados, mas dessa vez, a coisa foi muito mais tensa.

Não sei o que o fez desistir do assalto. Se foram as crianças no banco de trás, se foi o fato deu ter ficado objetivamente encarando os olhos dele.

Mas assim que sai pensei: acho que isso não me aconteceria no Canadá. Eu acho. E tive a certeza forte que não quero mais ficar aqui.

Até chegar em casa, confesso que fiquei um pouco abalado. Triste.

Poussin fils escutou eu falando com a mãe e ainda disse: “a gente ia ser assaltado né pai ?”

Pois é. Pensei que aquele era uma péssima maneira de terminar o dia.

E seguimos em frente nessa selva.

Da série: Por que sair do Brasil ? [2]

Sério. Seu que é um assunto batido, mas gosto muito de ME dar motivos para continuar no processo, que sabemos não ser fácil e nem barato.

Não sei se todos se recordam que em fevereiro, um grupo de jovens atacava um mendigo e outro jovem intercedeu para proteger. Esse grupo de jovens bateu no defensor do mendigo deixando o rapaz com um implante de 64 pinos no rosto !

Pois é. Eles foram acusado pelo Ministério Público por tentativa de homicídio. Mas é claro, como no Brasil nada funciona como deveria, um juiz espertalhão decidiu não levar o caso a júri popular e converteu a sentença dos tais a uma medida “alternativa” de punição. Ou seja, ficaram livres. Impunidade 100 %.

Coincidentemente, o tal jovem líder dos 4 voltou a ser preso ontem (04-12-2012). Ao ver uma blitz da polícia, ele fugiu de moto atropelando cones, entrando na contramão e outras peripécias. Foi pego com maconha e fez o teste do bafômetro, que não acusou álcool no sangue. Então simplesmente foi liberado (pois tais crimes não fazem com que ele seja preso), pegou sua moto e foi embora.

Sério. Assim. Vamos dar um replay e atentar aos fatos da história:

1) Cara agride gratuitamente um mendigo. Como se já não bastasse ser pobre, ainda ter que apanhar de um bando de moleques mimados.

2) Cara quase mata e desfigura um cidadão que tentou defender os mendigos.

3) Juiz mequetréfe e meia tigela liberta o tal cara e converte a pena de prisão em medidas “alternativas”, ou seja, pagamento de cestas básicas (money wins)

4) O rapaz, usuário de drogas, volta a cometer diversos crimes fugindo da polícia devido a uma blitz.

5) O rapaz volta para casa.

Não sei, mas será que somente eu vejo algo errado aqui ?

Link para a reportagem da Globo Online (ela está meio mal escrita, mas o caso é bem divulgado pela internet caso alguém queira ler mais sobre o assunto).

Será que estão esperando ele matar alguém para prender esse delinquente ?

Tive que editar para adicionar essa informação:

O tal do juiz Murilo Kieling (que libertou o rapaz) foi acusado pela esposa de violência doméstica. WTF !!! Como é ? Sim, o juiz é réu em um processo de violência doméstica.

Reportagens sobre o caso:

Link 1

Link 2

Só nesse país mesmo ….

Da série: Por que sair do Brasil ?

Não contamos para quase ninguém que estamos nos “metendo” nesse processo de imigração. Até por que não sabemos do resultado e não queremos ninguém fazendo aquelas perguntas já conhecidas nos blogs:

“Ué, você não ia para o Canadá ?”

Mesmo assim, poucos (bem poucos) que sabem as vezes nos questionam quais seriam nossas motivações de ir.

Bem, essa reportagem é um símbolo do motivo. Acompanhem o raciocínio:

a) O time de futebol do cara foi rebaixado (ele torce para o Palmeiras, apesar de morar no Paraná e ter nascido sabe-se lá onde).

b) O cara se sente profundamente ofendido com o amigo que tirou sarro do time dele ser rebaixado.

c) O cara se sente no direito de pegar uma maquita (uma espécie de serra elétrica para pisos e madeira) e agredir o agora, ex-amigo.

d) O amigo sobrevive, internado no hospital e ele vai para a delegacia.

e) Na delegacia ele afirma que não está arrependido e que o ex-amigo mereceu porque ele estava triste com queda do Palmeiras.

f) Ele assina um TOC (Termo de Ocorrência Circunstanciado) e sai livre, para responder o processo em liberdade. WTF !!!!

“Seu moço, pera aí. O cara agrediu o outro com uma serra elétrica, quase o matou, disse que não se arrepende e não vai preso ?”

É exatamente isso. E preciso de mais alguma justificativa para ir embora ? Para criar os meus filhos em outro lugar ?

Quem custar a acreditar, pode ver  a gravação do jornal postada no Youtube:

Não que o Canadá seja o paraíso, nos sabemos. Existem lá diversos problemas. Mas ao menos vemos que a impunidade não é um deles.

 

Indulto de Natal – Mais uma do jeitinho brasileiro

Curioso o “jeitinho”. Como libertar um corrupto que foi condenado ? Dê para ele a liberdade definitiva através do indulto de Natal !

Você sabia que existe essa “coisa” chamada indulto de Natal ? E que nela, alguns presos são perdoados de suas penas (desde que tenham cumprido parte da pena e que sejam de crimes não hediondos).

Você sabia também que em 2001 o então presidente FHC vetou o indulto de Natal para presos que tivessem cometido crimes contra a ordem financeira (e corrupção) ? E que em 2002, o Lulla quebrou o veto e deu o indulto de Natal a alguns corruptos conhecidos (Salvatore Caccioli, os diretores do Banco Santos que haviam sido presos após a quebra do mesmo). Interessante, não é ?

Agora vem a melhor parte: você sabia que a Dillma assinou o indulto de Natal ano passado e libertou um monte de corruptos e fraudadores bancários ? E que se ela assinar esse ano, é possível que parte dos condenados do mensalão tenham o benefício do indulto ? Será que ela vai assinar ?

Fonte: Escutei na Rádio CBN, em 23-10-2012.