Primeira visita a um médico

Sabendo que viajar com duas crianças pequenas, inevitavelmente teríamos altas chances de visitar uma clinica ao ficar doente.

O primeiro a ficar doente foi nosso querido Poussin-Fils. Teve uma inflamação na garganta (coisa recorrente do Brasil) e já sabíamos que ele ia ficar ruinzinho. Então, chegou a hora de estrear a Assurance Maladie.

Poussin-Mère o acompanhou a uma clinica sem rendez-vous. Fez a inscrição, pegou uma senha e retornou para casa (a pé mesmo, a clinica é aqui pertinho). Peguei a senha e cadastrei para receber o aviso no celular. Falaram que o serviço era grátis, mas me cobraram 1.99 na conta do celular 😦 . Quando chegou a hora ele foi para a clinica, foi atendido tranquilamente. Exames aqui, exame ali, o médico disse que precisava fazer um teste e perguntou se queria fazer ali (20 dolares) ou se queria marcar o exame no CSSS “?” (nunca sei a sigla desse lugar). Como marinheiros de primeira viagem e com o filhote doente, o exame foi ali mesmo (mas tem um recibo para abater no imposto de renda). Resultado: uma faringite confirmada. Ele recebeu dois frascos de amoxicilina para tomar (gratuitamente, o remédio foi de “graça”) e as várias instruções sobre medicamentos.

E foi isso. O sistema não demorou muito, foi tranquilo, muito melhor do que eu esperava quando lia os relatos de saúde caótica por aqui. Claro que não foi um atendimento em hospital, nada grave, mas para quem fica doente aqui e precisa se consultar, recomendo as clinicas sem rendez-vous. São muito práticas mesmo.

Anúncios