Pedindo demissão … E partindo para o novo !

Chegou a hora. Depois de quase dois anos em um ritmo de trabalho forte e com alguns horários estranhos, finalmente uma boa oportunidade apareceu.

Um grande empresa, salario bem razoável, bons benefícios. Parece que aqueles conselhos que recebíamos no inicio tem sentido pratico: comece a trabalhar para ganhar experiencia local que depois ficara mais fácil achar uma boa colocação no mercado de trabalho. E funcionou mesmo !!!

Cheguei a receber uma boa proposta para ficar no trabalho, mas depois de uma semana no novo trabalho, acho que acertei em sair para o novo.

Veio praticamente como presente de 2 anos de Canada !

A mobilidade profissional aqui sempre me surpreende. Trocamos de trabalho, explicamos as razoes e geralmente as pessoas compreendem. Sem burocracia alem da educação de dar um aviso antes de parar de trabalhar em um tempo adequado.

Então seguimos nosso caminho, agradecendo a cada dia por termos essa luz no nosso caminho e desejamos que todos tenham sucesso em seus projetos.

E lembrem-se: pode ser difícil no começo e pode parecer que não vai dar certo. Mas por fim, tendo fé e trabalhando forte os resultados vão vir.

Um abraço e feliz jour de la Saint-Jean-Baptiste.

Do Wikipedia sobre o jour de la Saint-Jean-Baptiste:

Au Québec, il s’agit de la Fête nationale du Québec. La fête a remplacé la fête religieuse traditionnelle de la Saint-Jean qui soulignait jadis le début de l’été et donnait lieu à des feux de joie sur les berges du Saint-Laurent. Ces feux avaient pour objectif de célébrer l’arrivée de l’été mais aussi de communiquer aux villages environnants les dernières nouvelles de l’hiver. Combien de morts ? Combien de nouveau-nés ? Les signaux de fumée faisaient office d’alphabet et donnaient un premier aperçu de l’état de la vie du Québec rural de l’époque. Dans les années 1960 et 1970 la Saint-Jean est devenue un des symboles de l’affirmation nationale québécoise, devenant le point de convergence des grands rassemblements politiques, sociaux et culturels. Elle demeure à ce jour un des rendez-vous annuels majeurs de la collectivité québécoise. Elle est officiellement appelée fête nationale depuis 1977.

Anúncios

2 anos de Canada !!!

Passou rápido. Muito rápido mesmo. Ontem completamos 2 anos em Montreal, 2 anos de vida nova. Como de praxe nos blogs de imigração, vamos a um pequeno resumo das questões importantes em nossa vida !!!

Adaptação:

Nossa pequena, que chegou com 4 anos e agora esta com 6, esta totalmente adaptada a vida nova. Fala francês, começou a ler em francês (e identifica palavras em português), tem varias amiguinhas e vida social bem movimentada. Nesse ano ela mudara do maternal para o primeiro ano. Apesar de ser na mesma escola, é uma grande mudança. Pelo que tenho visto, quanto menor as crianças que chegam, melhor sera a adaptação a vida nova. Recentemente ela começou a falar sobre a saudade dos avós. Disse que queria neve (estamos no verão) para patinar de novo. Falei para ela ter paciência e aproveitar o calor 🙂

Nosso grandão esta bem adaptado. Nesse ano ele ira para a classe regular no 2 secundário. Grande mudança. Ele não pensa em retornar ao Brasil e esta satisfeito com a vida aqui. Fala francês, escreve e tem vários amigos. Vai a escola sozinho de ônibus, volta sozinho, vai para o parque no final de semana com os amigos e já tem uma namoradinha. Vida normal e com uma liberdade incomparável para sair na rua.

O casal, bem, nos estamos tranquilos. A adaptação foi boa e começamos a criar um pequeno circulo de amizade, ainda pequeno, mas que se forma lentamente.

Trabalho:

Tive uma grande melhoria no ambiente de trabalho apos o primeiro ano. O salario agora é bem melhor, o que indica que a palestra que assisti estava certa: ao menos 2 anos para alcançar um certo grau de reconhecimento profissional por aqui, 6 anos previsto para plenitude igual havíamos no pais de origem. Ainda chegarei la ! Algumas portas se abrem, possibilidades podem ser vistas mais a frente. Mas agora, faço tudo com mais calma e analiso as opções. Ja estamos na contagem regressiva para a cidadania, o que pode abrir algumas portas no meu campo profissional que hoje não posso aplicar.

Vida:

A vida é tranquila. As vezes comentamos que as coisas aqui não são tao diferentes do Brasil: a rotina trabalho, escola, crianças, mercado, dia a dia, é tudo igual. A diferença obvia é o senso de segurança e a visão de que as coisas funcionam aqui.

Clima:

O calor chegou agora e também não é fácil !!! O inverno não nos incomoda. Durante o ultimo mês de frio já estávamos um pouco cansados do frio, mas a vida nao muda tanto e nem é tao difícil como falam. Tudo é aquecido, todos os lugares tem infraestrutura de inverno. Esteja bem agasalhado que o inverno passa tranquilo. Detalhe para os dias que fica aquela camada de gelo no para-brisa do carro, isso eu detesto. É chato limpar e as ruas ficam escorregadias (a famosa freezing rain). Fora isso, tudo bem.

Saudades:

Estamos um pouco saudosos da família. Ja faz algum tempo que não recebemos visita e infelizmente ainda não temos tempo disponível para uma viagem ao Brasil. Consideramos que viajar uma semana para o Brasil (tempo que todos temos livre em comum) seria muito caro e não valeria a pena pois a família é bem dispersada pelo pais. Vamos aguardar mais um pouco já que sabemos que receberemos visita no fim do ano.

 

_______________________________________

Apos nossa reunião familiar em um restaurante para comemorar os 2 anos, fizemos a votação anual se devemos ficar ou retornar: por hora, nossa decisão é ficar !!!

Abraços a todos e que seus projetos se tornem realidade !!! Nao desistam porque vale a pena !

As 3 primeiras entrevistas: ou +- isso …

Seguindo a grande descoberta da vida de imigrante, finalmente conseguimos alguma luz para termos esperança de conseguir um emprego logo após nossos primeiros 43 dias.

Algumas coisas já são conhecidas, principalmente a ordem que os CV’s são avaliados. Segundo meu conselheiro, o esquema é assim:

1- Indicação de alguém da própria empresa ou conhecidos;

2- Pessoas que ligam por telefone e enviam o currículo;

3- Pessoas que enviam CV pela internet.

No meu caso, a primeira oportunidade de trabalho não foi em nenhum destes casos. Uma empresa pegou meu CV no Jobboom e entrou em contato para eu fazer uma entrevista no dia seguinte. Infelizmente neste caso acabei declinando a vaga. Um trabalho sem salário fixo, somente por comissão e sem garantias sociais. Dei uma pesquisada e muitos dizem que é uma empresa que explora os imigrantes (no sentido de não dar garantias trabalhistas) mas pelo menos pode ser uma renda para os primeiros meses, além de ser a primeira experiencia canadense.

A segunda vaga, ainda em curso consegui através de envio de CV direto para o site da empresa. O processo de recrutamento é feito em 4 etapas, as 2 primeiras online. Passei pela primeira etapa que consistia em alguns questionários sobre perfil de trabalho e motivação e me enviaram alguns testes para fazer no próprio computador. Esses sim, bem mais complexos. Já enviei os tudo preenchido e aguardo uma resposta (enviei ontem, veremos no que dá). Se passar, a próxima etapa é uma entrevista com o RH.

A terceira vaga surgiu de maneira curiosa. Enviei um CV para uma empresa de Recursos Humanos que terceiriza trabalhos para uma posição simples de trabalho, mais para começar a trabalhar mesmo. Me ligaram ontem para eu fazer a entrevista hoje. Só que enquanto eu navegava na página da empresa, vi uma vaga com meu perfil bem melhor na área que eu queria. Como aqui, “quem tem boca vai a Roma”, quando cheguei na entrevista já falei logo de cara que havia visto a outra vaga e que era meu perfil. A entrevistadora olhou o currículo e me passou para um outro entrevistador que cuida dessas vagas mais avançadas. Ele gostou bastante do currículo e disse que vai encaminhar para a empresa, mas que o processo deve demorar entre 1 mes a 1,5 meses. A experiencia de trabalho fez mais diferença que o proprio currículo, apesar que a formação universitária deu um “up” no meu perfil. Neste meio tempo, eu ainda poderia trabalhar temporiamente em algum survival job para eles, mas concluímos que vale a pena continuar na francisação e melhorar o frances (mesmo ele tendo dito que o meu frances é suficiente para essa vaga).

Então nessa semana as coisas deram uma iluminada, finalmente. Já havia enviado tantos currículos e não tinha qualquer resposta. Agora valeu o incentivo de continuar procurando na minha área posições que não sejam gerenciais, como eu tinha no Brasil, mas posições que não precisam “resetar” a zero a carreira e nem aceitar salário mínimo. Tenho capacidade de competir pelas vagas melhores.

Pontos importantes que 2 entrevistadores perguntaram:

1 – Se eu tinha a equivalencia dos diplomas. Achei que não precisava, mas pelo jeito eles dão muito valor. Um colega da francisação falou para minha esposa que toda a família tinha tirado e que é muito importante ter. Vou tentar providenciar.

2 – Qual a estação de metro mais próxima da minha casa. Na realidade, nas 3 oportunidades de trabalho isso foi questionado. Parece ser mesmo um aspecto muito importante para eles (e é claro que também é para nós pois a viagem ao trabalho afeta muito na nossa qualidade de vida).

Então, se voce vem para Montreal e quiser trabalhar logo, considere nas pesquisas de imóveis ficar próximo as estações ou ao menos em um local com acesso ao transporte público de maneira facilitada, acho que isso faz diferença na hora de procurar um emprego (mais do que eu imaginava).

E quem vem para Quebéc, considere fazer uma equivalencia do seu diploma, pois uma hora ou outra alguém vai acabar questionando isso.

Boa sorte a todos no processo de imigração e para todos que estão por aqui ! Continuem batalhando firmes !!!

Missão de Recrutamento para trabalhar em Québec 2014 !

Pessoal, a Maria do “Québec na Cabeça” me alertou sobre a abertura da missão 2014.

Para quem tem perfil das vagas, pode ser uma ótima opção para adiantar a ida ao Québec e de quebra ter um emprego !

Quem tiver interesse, dá uma lida na página http://www.quebecnacabeca.com/missaovirtual2014/

Último dia de trabalho – Faltam 33 dias

Ontem foi meu último dia de trabalho. Muitas despedidas, alguns adeus mais emocionados.

Fiquei feliz de saber que fui de certa forma querido pelos colegas na fábrica e que fiz parte do aprendizado deles de vida.

O chefe, no final, mostrou alguns sinais também de pesar pela minha saída. Pediu para mantermos contato e para eu contar como as coisas vão. 🙂

Me despedi de todos, mas ainda tenho a homologação no dia 08/05. Faltam 33 dias para a viagem e o tempo parece estar curto.

Essa foi uma grande ruptura, ao menos para mim. Marcou o final de uma era, 5 anos de trabalho dedicado a fábrica. Espero que as duas pessoas que treinei para o meu lugar possam continuar com o trabalho e dar seguimento as melhorias que iniciamos.

Passo a passo, finalizamos as pendências e rompemos nossa rotina e laços antigos. Ao Québec !

Por hora, só estudando francês …

Após receber o e-mail do BIQ, voltei a ficar animado a estudar francês. Apesar da animação, temos que combater a preguiça !

Preguiça

Consegui achar um professor canadense em Campinas (originário da parte inglesa, mais c’est la vie 🙂     ).

Ao mesmo tempo tenho estudado através de alguns vídeos de professores no youtube. Mas sinto que preciso focar mais e aprender mais. Começo a ficar um pouco ansioso pois sabemos que logo a entrevista chega e não me sinto preparado para um diálogo deste tipo.

Acho que vou voltar a escola tradicional para focar e tentar manter a cadência do estudo. Ao mesmo tempo, escutando os podcasts e estudando pela internet.

Preciso mesmo de mais dedicação !

No momento é isso. No trabalho, estou com muito trabalho !!! Isso atrapalha um pouco a a concentração. Mas faz parte, já que a vida não para por causa da imigração.

Boa semana a todos !

 

 

Post Rápido: Indo para casa

Nota

Finalmente sexta feira !!!

Depois de passar o dia todo do lado de algumas pessoas em claro estado de depressão (isso acaba com nossa alegria), finalmente estou indo para casa.

E la Poussin Mère acabou de mandar uma mensagem que em Montreal está -15°C !!! (instalei o gadget de tempo no notebook com SP e Montreal).

Ah ! … Eu prefiro ficar na neve sob -15°C do que trabalhando com essas pessoas depressivas que acabam com o humor de qualquer um !

Bom final de semana a todos !

Six signs that you’re in the wrong job

Recebi uma newsletter do Workopolis. Achei interessante o texto e resolvi postar, caso alguém perdido pela internet tenha tempo de ler.

Como estou no trabalho, não vou traduzir agora.

You’re only in it for the money

As I mentioned, if you think about quitting every day, and it’s only the fear of the lost revenue and finding another job quickly enough that keeps you going to work, you’re in the wrong job. We all have bills to pay and responsibilities to meet, but if that is the only thing that motivates you to show up to work, you should be actively looking for something more fulfilling or enjoyable.

You don’t enjoy the work itself

When you actually find the stuff you’re paid to do all day uncomfortable, boring or distasteful, you should probably try something else. The way to succeed is to excel at something, and hopefully to do it with a positive attitude. Both are impossible when you hate what you’re doing. In a recent Workopolis poll, 29% of our users said that “Enjoying the work itself” was their most important career goal. (Ranked as more important than becoming wealthy or even just achieving financial stability.)

You dread the idea of going to work

When work has become so unpleasant that you dread the very idea of having to go in, you’re in the wrong job. Having it weigh on you that much means that you can’t even enjoy your time off because of the looming return to work. This can lead to depression, substance abuse, stress-related illnesses and other health consequences that are just not worth it.  Stay healthy and go someplace else.

The team is out to get you

This can happen when someone above you is looking to replace you, or when you are just not a good fit with the team and they have formed a clique to oust you. Either way, it’s time to start looking for another gig. Signs that your coworkers are aligning against you include:

– credit for your accomplishments being given to others
– blame for any setbacks being directed to you
– feedback or comments on your work being sent to people over your head rather than to you directly
– team members routinely passive-aggressively putting down or questioning every decision you make
– you’re told that your new boss doesn’t care about the things you’re good at (or about success at all) if it means contradicting their opinion

The rest of your life is no good either (because of work)

If you don’t enjoy your job, but it pays you enough money for you to enjoy the lifestyle you’ve always wanted, and affords you the work/life balance that you crave, it might be worth staying. I think that people limit their potential by engaging in careers they are not passionate about, but not everyone is passionate about work. Sometimes it’s just a job. However, if you don’t like it, it doesn’t pay enough to support your desired lifestyle, and you don’t have the work/life balance that you need – it’s probably the wrong job.

There is no growth or learning potential

When the position you are in is a dead-end, you’re probably in the wrong job. The trouble with dead ends is that even if it seems safe where you are currently – everything changes. When things change and you have nowhere to go, you’re in trouble. And if you haven’t been learning along the way at work, your skills will eventually become dated and less valuable on the market.

Link original para o artigo completo : http://www.workopolis.com/content/advice/article/2725-six-signs-that-you-re-in-the-wrong-job?CID=721:19L:14946